AMEAÇAS PERSISTENTES AVANÇADAS

O QUE SÃO E COMO SE PROTEGER?

Diferentemente dos ciberataques tradicionais, essa ameaça pode permanecer na rede de sua vítima por muito tempo para conseguir o maior número possível de dados de alto valor agregado.

Os ataques virtuais têm sido uma das principais preocupações das empresas após a Transformação Digital. A maioria delas ainda não possui as ferramentas tecnológicas adequadas e profissionais capacitados em suas equipes para garantir que a proteção de seus dados e sistemas.

O problema é que à medida que as organizações adotam novas soluções e tendências em seus ambientes para aprimorar os seus processos, os hackers também modernizam suas ações, tornando os seus ataques mais precisos e bem-sucedidos. É nesse cenário que as ameaças persistentes avançadas (APT) estão se tornando cada vez mais comuns, fazendo diversas vítimas por todo o mundo.

O Brasil, por exemplo, é o país mais afetado por elas na América Latina. Você já conhece esse tipo de cibercrime? Ele tem preocupado muitas empresas que não sabem como se defender. Pensando nisso, preparamos este conteúdo explicando melhor o significado de APT para que seu canal de TI saiba como ajudar os clientes a se livrarem dessa ameaça. Não perca!

O que são ameaças persistentes avançadas?

Advanced Persistent Threat (APT), ou em português ameaças persistentes avançadas são um tipo de ataque evoluído e direcionado em que os hackers utilizam processos complexos e eficientes.

Os criminosos inserem um código malicioso dentro dos softwares e sistemas legítimos utilizados pelas empresas para que sejam executados juntos com os programas, dificultando sua identificação.

Há duas modalidades de APT que ameaçam as organizações, uma se refere a um tipo extremamente específico de ciberataque e outra é direcionada a grupos, muitas vezes patrocinados. Esse ataque é silencioso e pode demorar meses para ser detectado. O termo ameaça persistente avançada é utilizado justamente por isso. O cibercriminoso estabelece sua presença dentro da rede durante um longo período de tempo para minar o máximo de dados sensíveis.

Os alvos desses hackers são cuidadosamente escolhidos, normalmente empresas que possuem dados de alto valor agregado, como grandes corporações e órgãos governamentais. Diferentemente dos ataques tradicionais, os APTs são mais elaborados e específicos.

Eles buscam obter ganhos financeiros rápidos e fáceis, ou até mesmo simplesmente prejudicar o negócio da empresa alvo. As ameaças persistentes avançadas têm como maior objetivo atacar determinados negócios e tecnologias para manter um acesso constante às informações sensíveis dos alvos.

Assim, são capazes de roubar conteúdos críticos, como propriedade intelectual e informações pessoais de clientes ou internas. Ao se tornar algo de um ataque persistente, a empresa pode sofrer com diversas implicações em seus negócios, tais como:

  • prejuízos financeiros;
  • problemas com indisponibilidade de sistemas e dificuldade em suas operações;
  • exposição de dados internos e de clientes;
  • difamação da imagem da marca perante seus clientes e mercado.

    Como se proteger contra APTs?

Para acompanhar a evolução dessa ameaça e ser capaz de se proteger, as empresas precisam evoluir suas estratégias de proteção para que fiquem mais apuradas e protegidas. As corporações precisam reestruturar suas abordagens, buscando por soluções capazes de interceptar ataques em qualquer ponto da rede.

Além disso, é crucial conscientizar os funcionários sobre os riscos existentes e as possíveis ações a serem tomadas para amenizar as falhas internas.

Outra precaução a ser tomada para se proteger contra as ameaças persistentes avançadas é a utilização de Sandbox, um ambiente seguro que virtualiza a infraestrutura da organização. Dessa forma, é possível realizar a instalação de sistemas nesse local teste para verificar sua segurança antes de migrá-lo.

Além disso, há ferramentas modernas e robustas capazes de realizar a proteção da borda, avaliando softwares antes de sua execução para evitar comportamentos maliciosos com o do APT. Portanto, para se proteger contra as ameaças persistentes avançadas é necessário seguir alguns conselhos:

  • Contar com uma solução de segurança eficaz que proteja a rede corporativa por meio de um firewall que faça o bloqueio de acessos desconhecidos;
  • Utilizar softwares de segurança em todos os dispositivos conectados à rede, desde USBs, smartphones pessoais de usuários, até as máquinas internas e outros dispositivos;
  • Manter todos os softwares e firmware atualizados para evitar que brechas sejam abertas e aproveitadas pelos cibercriminosos.
  • Realizar a conscientização dos funcionários por meio de treinamentos e incentivo.

    As ameaças persistentes avançadas estão em constante evolução e continuam fazendo diversas vítimas. Para evitar que esse ciberataque afete seus clientes é necessário que eles estejam preparados para combatê-lo. Portanto, sua revenda de TI deve buscar oferecer sempre as melhores soluções tecnológicas capazes de eliminar esse problema.

Canal Comstor

 

N&DC Systems IntegrationAMEAÇAS PERSISTENTES AVANÇADAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *